Crianças que preferem alimentos doces tendem a engordar mais do que aquelas que gostam mais de sabores salgados, mostra pesquisa recente feita com meninos e meninas com menos de 3 anos de idade.  Um dos principais problemas é a grande oferta de guloseimas, o que não só dificulta o trabalho de mantê-las longe do açúcar como favorece o surgimento do hábito de comer mesmo sem ter fome.

 

A tendência de comer sem fome aumenta com a idade, podendo implicar no ganho de peso. O novo estudo, publicado na revista científica “Pediatrics”, mostra que esse tipo de comportamento precisa ser evitado desde muito cedo, antes mesmo de as crianças completarem 3 anos de idade, afirma a médica Julie Lumeng, do Hospital Pediátrico C. S. Mott, da Universidade de Michigan, que coordenou a pesquisa, realizada com 209 mães de baixa renda.

 A todas as mulheres, foi pedido que evitassem que seus filhos pequenos comessem durante uma hora. Em seguida, foi oferecido o almoço. Depois que as crianças terminaram a refeição (quando já não tinham mais fome), foram oferecidos lanches doces e salgados, como biscoito de chocolate e batata frita, que elas podiam comer à vontade.As crianças que preferiram os doces apresentaram risco maior de aumento da gordura corporal antes dos 3 anos de idade, concluíram pesquisadores da Universidade de Michigan.

“O hábito de comer sem fome está associado ao sobrepeso em crianças mais velhas, mas esta foi a primeira vez que observamos esse tipo de relação em crianças de apenas 1 ou 2 anos de idade”, comenta Julie.

Proibir o consumo de doces pode não ser uma boa estratégia, pois pode fazer com que esses alimentos acabem se tornando mais atrativos, dizem pediatras. Ao invés disso, os pais devem ensinar os filhos a ter atenção plena quando consumirem guloseimas. Ensinar as crianças como comer esses alimentos, sem pressa e desfrutando o sabor, sempre com moderação, os ajudará a desenvolver hábitos alimentares saudáveis. O pediatra Ron Marino, do Hospital da Universidade de Winthrop em Mineola, Nova York, concorda. “Os pais devem ensinar os filhos a prestar atenção a todas as sensações, incluindo a de saciedade”.

Às vezes, o comportamento alimentar das crianças pode estar relacionado a componentes psicológicos. “Quando há necessidades emocionais não satisfeitas, as pessoas (crianças ou adultos) recorrem com frequência à comida”, diz Marino. Os pais, além de ensinarem seus filhos a comerem bem, precisam ser bons exemplos.