Manter a saúde é uma questão de balança. Não de peso apenas, mas especialmente de calorias. É o que mostra um manual do National Institutes of Health, dos Estados Unidos. Na publicação, dedicada aos pais, a mensagem é uma só: é preciso equilibrar a “entrada” e a “saída” de calorias do corpo para garantir o peso adequado em todas as faixas etárias.

De acordo com o trabalho, crianças têm necessidades diferentes de acordo com a faixa etária, sexo e estilo de vida (veja o quadro abaixo). As que se movimentam pouco precisam de menos quantidade de calorias em comparação com as mais ativas da mesma idade e gênero. Para fazer essa conta dar certo, as dicas são simples: as crianças têm que se mexer mais. A primeira recomendação do manual é reduzir ao máximo ou trocar o acesso à TV e aos videogames por 60 minutos de atividade física, quase todos os dias.

 “Para crianças, brincar é a melhor atividade física”, explica a professora de educação física Barbara Menezes, que atua nas áreas de natação e psicomotricidade: “A atividade física diretiva, isto é, aulas de natação, futebol, dança, também é recomendada durante 30 a 40 minutos em dias alternados, para a criança não enjoar”.

A professora sugere ainda que os pais evitem permitir que seus filhos levem tablets, jogos eletrônicos e outros gadgets para a escola. “É cada vez mais frequente vermos alunos sentados quando poderiam estar correndo, pulando, subindo em brinquedos nos horários livres de recreio.” Em casa, pouco espaço não é desculpa para ninguém ficar parado: “Os filhos podem ajudar nas tarefas domésticas, como varrer e molhar as plantas. É uma forma de trabalhar a responsabilidade e gastar energia.”

Outra forma simples e divertida de fazer a balança pender para o lado da saúde é trocar o carro por outros meios de transporte: “Ir para o curso de inglês de bicicleta, skate ou a pé é uma ótima alternativa para trabalhar o corpo”, afirma Barbara, observando um hábito que não favorece as crianças. “Elas têm andado de carrinho de bebê até idades avançadas. Isso é ruim porque, além de não gastarem energia, elas não desenvolvem equilíbrio e lateralidade. Logo que a criança começa a andar, o ideal é ir deixando o carrinho de lado e fazê-la percorrer pequenas distâncias”. 

 

Veja outras dicas do manual

 Fique longe da televisão

• Corte os desenhos animados nas manhãs de sábado e saia para andar de patins com seu filho ou o leve ao zoológico.
• Faça um acordo familiar para limitar o uso de TV, DVD, vídeo ou jogos eletrônicos a um máximo de duas horas por dia ou menos.
• Jogue bola em vez de jogar videogame.
• Tire a TV do quarto do seu filho.

 Faça com que os momentos diante da tela sejam de atividade

• Aproveite o tempo diante da TV para se alongar ou levantar pesos.
• Proponha um desafio a seus filhos: quem pode fazer mais flexões durante o comercial?
• Ponha seu vídeo favorito de aeróbica e veja como queimará calorias!

 Faça com que os momentos em família sejam de atividade

• Vão juntos à biblioteca de bicicleta.
• Vá aos eventos esportivos de seu filho para torcer por eles. Leve-os a seus eventos esportivos para que torçam por você.
• Celebre o aniversário de uma forma ativa, como uma excursão ou um jogo de futebol ou vôlei.
• Elabore com seu cônjuge um plano de treino para que a família toda participe de uma corrida ou caminhada de 8 quilômetros.

 Observações: Sedentário significa um estilo de vida que inclui apenas atividades físicas leves, associadas à vida cotidiana típica. Atividade moderada significa um estilo de vida que inclui atividade física equivalente a caminhar entre 2,5 a 5 quilômetros por dia, de 2,5 a 3,5 quilômetros por hora, além das atividades associadas à vida cotidiana típica. Ativo significa um estilo de vida que inclua atividade física equivalente a caminhar mais de 5 quilômetros ao dia, de 2,5 a 3,5 quilômetros por hora, além das atividades associadas à vida cotidiana típica. As margens de calorias desta tabela foram definidas para acomodar as necessidades das diferentes idades dentro do grupo. No caso de crianças e adolescentes, calcula-se que necessitam de mais calorias à medida que vão crescendo.