Aprenda a identificar os problemas mais frequentes em ambos os sexos

Diabetes, hipertensão arterial e doenças cardíacas são alguns dos problemas de saude rapidamente associados à obesidade. Mas há outros, menos valorizados, que diminuem a qualidade de vida e atingem a autoestima de quem está acima do peso. As doenças de pele estão nesse grupo. O maior o do corpo humano merece alguns cuidados especiais por parte de crianças e adolescentes obesos.

Segundo a dermatologista Selma Hélène, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e mestre pela Santa Casa da Miserica de São Paulo, alterações do organismo e aumento da produção de suor, somados ao atrito constante em algumas áreas, favorecem assaduras e infecções por fungos e bactérias, que escurecem a pele com o passar do  tempo. O excesso de peso também contribui para o aparecimento de estrias.

"No consult, as queixas mais frequentes são as estrias. No caso das crianças, não há nada que se possa fazer, já que o tratamento à base de ácidos ou laser não é indicado para essa faixa etária", explica a médica, alertando que o acompanhamento de um dermatologista é fundamental. "Um especialista será capaz de identificar as lese orientar o tratamento adequado. No caso das crianças, em especial, a automedicação é muito perigosa, uma vez que, nessa faixa etária, a pele absorve muito rápida e intensamente os medicamentos", afirma, enfatizando a necessidade de proteção solar independentemente do peso para prevenir o câncer de pele.

Mestre pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e também membro da SBD, a dermatologista Ana Libia Cardozo explica que medidas simples podem evitar alguns desses problemas dermatolos quando o excesso de peso já está instalado:

"O mais importante é manter as dobrinhas limpas e secas. Isso significa ter um cuidado redobrado na hora do banho. O enxague tem de ser cuidadoso para que não fiquem resíduos de sabonete na pele", diz a médica, recomendando o uso de produtos neutros ou flas sem sabão. "Ap banho, é fundamental secar cada cantinho com uma toalha macia. Em alguns casos, podem ser recomendadas loções à base de talco líquido ou mesmo pasta da e pomadas à base de o de zinco." Ela também orienta o uso de roupas de algodão, que permitem a evaporação do suor. "Peças de tecidos sintéticos agravam os problemas."

Ana Libia acrescenta que a obesidade também pode acarretar o aparecimento precoce de espinhas. "A resistência à insulina que crianças obesas podem desenvolver está relacionada à acne, que precisa ser tratada para evitar complicações." A dermatologista afirma ainda que o quadro de subnutrição que muitas dessas crianças apresentam resulta em cabelos e unhas frágeis. "A dieta das crianças obesas é pobre em nutrientes. Isso provoca a queda e a opacidade dos cabelos e a quebra das unhas", diz ela, enfatizando que o sucesso dos tratamentos para as crianças depende do comprometimento dos responsáveis.

 

 

Veja alguns dos problemas de pele relacionados à obesidade

 

Brotoejas: Lesprovocadas pela retenção de suor nas glândulas sudoríparas.

Estrias: O estriamento da pele, favorecido pelo aumento de peso, atinge principalmente mamas, coxas, nádegas e barriga.

Intertrigo: O excesso de umidade associado ao atrito nas dobras predisps assaduras. A região fica mais suscetível a infecções bacterianas e fcas.

Candidíase: Provocada por fungos, causa manchas na pele e pode coçar.

Acantose: Placas escuras e de textura diferenciada se formam principalmente na região do pescoço e da virilha.

Pos (acrocnes): Formações em relevo especialmente na axila e no pescoço.