Estar acima do peso aumenta as chances de desenvolver inúmeros tipos de câncer. Atualmente, a obesidade é considerada a primeira causa de câncer no mundo que se pode evitar, à frente inclusive do hábito de fumar, segundo informações do Observatório Global de Câncer – plataforma interativa da Agência Internacional para a Investigação do Câncer (da OMS). De acordo com o levantamento, 14 tipos de câncer estão relacionados à obesidade, entre eles, alguns bem comuns, como o de mama, útero e intestino. A notícia chama a atenção para a importância do combate à obesidade ainda na infância. No Brasil, os números dessa doença são alarmantes: 33,5% das crianças de 5 a 9 anos têm excesso de peso, conforme alerta a Pesquisa de Orçamentos Familiares (2008-2009). E 33,5% dos adolescentes de 12 a 17 anos têm sobrepeso, sendo que 8,4% estão obesos, apontou o Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (de 2015). E esses dados preocupantes não param por aqui, entre os brasileiros com 20 anos ou mais, 56,9% estão acima do peso. A educação alimentar desde os primeiros anos é o primeiro passo para reverter esse quadro.

 “A obesidade deve ser encarada como uma doença que precisa ser tratada. Não é uma questão de estar bem com o corpo, mas de uma saúde melhor”, afirma a endocrinologista Maria Edna de Melo, presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO). Porém, os médicos lembram que é melhor prevenir do que tratar. Confira a seguir dicas para corrigir os maus hábitos das crianças na hora das refeições.