As proteínas são fundamentais para o bom desenvolvimento de crianças e adolescentes. Elas fazem parte do chamado "grupo construtor" porque fornecem aminoácidos que participam de inas reações do organismo. Mas é importante variá-las. O novo "Guia alimentar para a população brasileira" afirma que algumas famílias se excedem no consumo de carnes vermelhas e deixam outras fontes de lado. De acordo com o Centro para Políticas e Promoção da Nutrição dos Estados Unidos, a partir dos 9 anos, os indivíduos necessitam de 150 a 200 gramas de proteínas por dia (veja o quadro abaixo).

Segundo a endocrinologista pediátrica Cristiane Kopacek, da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul, crianças e adolescentes devem ter uma dieta variada, que inclua proteínas de origens animal e vegetal, com equilíbrio e em combinação com outros nutrientes. Vegetais, leguminosas, cereais, leite e ovos devem fazer parte do cardápio infantil.

"Em algumas regi há excesso de consumo de proteína animal. O perigo consiste no teor de gordura saturada associada, o que eleva o risco para doenças cardiovasculares. A família deve ter o cuidado de variar as fontes animais de carne, distribuindo ao longo da semana carne branca (frango e peixes) e vermelha (gado e suíno) numa proporção de dois para um. Idealmente, o leite deveria estar presente diariamente na dieta da criança, exceto nos casos de intolerâncias, pois, além de fonte de proteína, é também de cálcio e vitaminas. As proteínas vegetais, leguminosas e cereais, devem ser introduzidas na rotina da casa para a criança aprender a saboreá-las naturalmente."

 Ela explica que pode ser prejudicial restringir o cardápio ao consumo exclusivo de um tipo de proteína:

"Não é indicado, numa refeição, comer somente proteína quando deveria haver uma combinação de alimentos, ou utilizar somente uma das fontes, animal ou vegetal, em detrimento da outra. Saudável é variar as fontes, os alimentos, e não exceder as quantidades. Alguns grupos específicos de indivíduos, especialmente com doenças renais, devem ter cuidado com a quantidade das proteínas."

Além da classificação pela origem, a médica lembra que há a classificação por valor biolo, ou seja, o quanto será aproveitado pelo organismo.

"A fonte de proteína com maior valor biolo, 100% de aproveitamento, é o leite materno", afirma, destacando a importância da amamentação.

Dez conselhos para escolher proteínas*

- Varie as fontes de proteínas: consuma diferentes alimentos do grupo das proteínas por semana. Prove pratos preparados com legumes, nozes, soja e pescados.

- Coma pescados duas vezes por semana: substitua a carne vermelha e as aves por peixes e mariscos. Escolha opções naturalmente ricas em s e pobres em merc, como salmão, truta e arenque.

 

- Prefira carnes magras: escolha cortes de carne de gado ou ave com baixo teor de gordura. Retire a gordura das carnes vermelhas e a pele das aves

Coma ovos: em média, comer um ovo por dia não aumenta o risco de doença cardíaca. Lembre-se de que apenas a gema contém colesterol e gorduras saturadas. Assim, você pode comer clara à vontade.

- Coma proteínas de fontes vegetais com mais frequência: prove feijpreto, branco e vermelho, produtos à base de soja (tofu, tempê, hamberes), nozes e sementes. Esses alimentos são naturalmente pobres em gorduras e ricos em fibras.

- Coma nozes e sementes: na hora do lanche, escolha nozes ou sementes sem sal. Use-as também em saladas ou nos pratos principais no lugar da carne. Mas lembre-se de que elas são fontes concentradas de calorias. Coma porções pequenas para manter as calorias sob controle.

- Prepare as proteínas de formas saborosas e saudáveis: prove carnes feitas na chapa, grelha ou forno de modo a não acrescentar . Algumas carnes magras precisam ser cozidas lentamente e com líquido para que fiquem macias. Evite empanar as carnes. Isso aumenta as calorias.

- Prepare sanduíches saudáveis: use peito de peru, rosbife, atum ou salmão como recheios. Embutidos como salsichas e salames têm alto teor de gordura e s e svem ser consumidos ocasionalmente.

- Coma porções menores de carne: saboreie a gosto o que deseja, mas em quantidades pequenas. Peça um hamber pequeno em vez de um duplo, por exemplo.

- Verifique o teor de s dos alimentos: confira os ros. Muitas proteínas processadas são acrescidas de sal.

*Traduzido e adaptado de www.choosemyplate.org.