Você não sabe mais o que pensar para que seu filho ou filha adolescente coma regularmente ao longo do dia, faça as refeições sem pressa e prefira uma dieta equilibrada a alimentos pouco nutritivos e gordurosos? Tranquilize-se, pois esses problemas são muito comuns nessa fase, e a maioria dos pais têm dificuldades para fazer com que seus filhos mantenham uma alimentação saudável. Conhecer a opinião de especialistas, como a da pediatra Virgínia Weffort, presidente do Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), no entanto, pode ajudar muito na superação desses obstáculos.

 

“Os adolescentes não costumam fazer a primeira refeição do dia, o café da manhã, preferem lanches a refeições completas e não gostam de verduras e frutas, o que traz consequências negativas para sua saúde”, destaca ela. “Devido a esse comportamento, podem ter de sonolência nas manhãs, pelo período longo em jejum, a deficiência de vitaminas e obesidade”, complementa.

 

Segundo a pediatra, os pais podem ajudar a preservar a saúde de seus filhos adolescentes reforçando a importância de se alimentar em horários regulares (em geral, de três em três horas), de comer frutas e verduras (cinco porções por dia) e de evitar lanches nos horários de almoço e jantar, além de refrigerantes e bebidas alcoólicas.

 

“É necessário também orientar os adolescentes a adotarem uma dieta rica em cereais e tubérculos, proteína animal, leguminosas e hortaliças, a ingerirem muita água e a consumirem leite e derivados, como queijos e iogurtes, considerados grandes fontes de cálcio, mineral que tem papel fundamental na formação dos ossos”, explica a médica.

 

 

Sugestão de box ou quadro

 

Confira dicas para driblar e melhorar a alimentação de crianças e adolescentes

 

 

- Prepare tanto quanto possível o café da manhã de seu filho na noite anterior.  Lembre-se de que um café da manhã nutritivo deve fornecer um mínimo de 300 quilocalorias.

 

- Frutas frescas e iogurte com baixo teor de gordura ou sem gordura tornam o café da manhã rápido e saudável.

 

- Quando seu filho não puder sentar-se à mesa para o café da manhã, prepare para ele levar. Frutas, ovos cozidos, sanduíches, frutas secas e passas podem ser facilmente transportados.

 

- Compartilhe com seu filho adolescente instruções para minimizar o consumo de gordura e sal. Nos fast foods, por exemplo, ele pode reduzir o tamanho da porção de sanduíches e acompanhamentos.

 

- Mantenha lanches saudáveis à mão. Na maioria das vezes, os adolescentes consomem lanches por hábito, não porque estão com fome. Ou seja, a conveniência é tão ou mais importante que o sabor.

 

- Procure manter horários regulares para as refeições. Ao criar o hábito do café da manhã, almoço e jantar em família, certamente o relacionamento em casa será melhor e as refeições passarão a ser vistas como momentos de integração e de transmissão de conhecimento. Assim, durante as refeições, os filhos terão acesso a modelos de comportamento e à orientação sobre o que e como comer, por exemplo, consumindo mais frutas, legumes e alimentos frescos em lugar de processados, enlatados e refrigerantes.

 

 

- As crianças e os adolescentes aprendem sobre os alimentos por suas experiências, mas também observando os outros. Desse modo, a família fornece amplo campo de aprendizagem, no qual a alimentação se torna um dos principais focos de interação entre pais e filhos. Portanto, cabe aos mais velhos cuidarem para não criar um ambiente propício à alimentação excessiva ou a um estilo de vida sedentário. Pais que comem demais, muito rápido ou ignoram os sinais de saciedade estão dando exemplo errado aos filhos.

 

- Fazer boas escolhas alimentares é um processo complexo e tem consequências em curto e longo prazos para a saúde. Não é fácil, mas uma educação alimentar bem-feita na infância fará de seu filho um adulto mais saudável, vivendo com mais qualidade.

 

 

Fontes: Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e Academia Americana de Pediatria (AAP).