Nos dias e meses mais frios do ano, o interesse das crianças para a prática de atividades físicas diminui bastante. Com incentivo e orientação adequados, é possível que o invernonão se torne um empecilho para manter os bons hábitos da garotada. Além disso, o cuidado com a alimentação também é necessário.

Baixas temperaturas, férias, viagens e festas juninas. O inverno apresenta um conjunto de fatores que podem levar a criançada a algum ganho de peso. Nesse caso, moderação é a palavra-chave. Se houver equilíbrio, é possível aproveitar tudo que essa época do ano pode oferecer mantendo, inclusive, os exercícios físicos que no frio são facilmente deixados de lado, como a natação, por exemplo.

Na visão do professor de Educação Física Márcio Atalla, com especialização em Treinamento de Alto Rendimento e pós-graduação em Nutrição, pela USP, é natural que adultos e crianças procurem alimentos mais gordurosos que ajudem a manter o corpo aquecido. E, para equilibrar, basta não se render ao sedentarismo. Deve haver um controle para que as crianças não passem o inverno, que coincide com parte das férias, em frente a uma tela de TV, computador ou tablet. “Em várias cidades brasileiras há programas de esportes para crianças nas férias, até mesmo gratuitos. Para os pais que estão trabalhando durante esse período, é interessante que matriculem os filhos nessas atividades ou até em colônias de férias. O importante é que a atividade física seja prazerosa e se transforme numa grande brincadeira”, salienta o professor.

Por sua vez, o professor de educação física, Roberto Costa, coordenador de pesquisa da Escola de Saúde e Bem-Estar do Centro Universitário FADERGS, no Rio Grande do Sul, ressalta que a escolha por uma alimentação saudável e equilibrada deve ser mantida no inverno, assim como no resto do ano. “Se as crianças passarem mais tempo inativas, sem os devidos cuidados com a alimentação, aumentarão o peso. Principalmente se optarem a todo o momento por atividades sedentárias, como aquelas realizadas em frente a uma tela. E é bem comum que estas atividades sejam acompanhadas de ‘algo para comer’, como snacks e salgadinhos”, alerta Costa. http://obesidadeinfantilnao.com.br/publicacoes/da-boca-pra-dentro/aprenda-a-preparar-receitas-de-sopas-para-o-inverno/ 

Ele admite que é bem comum que as condições climáticas interfiram no nível de atividade física das crianças, principalmente em regiões mais frias onde há maior vulnerabilidade às doenças respiratórias. “A realização de exercícios físicos em ambientes climatizados, como clubes e academias, é uma alternativa interessante. Em casa, a utilização de videogames ativos, que estimulam a criança a se exercitar com seus jogos, pode ser também uma boa alternativa”, complementa.

 

Dicas para se movimentar no inverno: 

– Atividades ao ar livre podem ser bem prazerosas, uma vez que o inverno gera mais disposição para corridas e brincadeiras diversas. 

– Em regiões mais frias, procure ambientes climatizados, como piscinas, pistas de patins e escolas de dança.

– As festas juninas dispõem de alimentos saudáveis, como milho cozido, churrasquinho e pipoca. E as calorias consumidas ainda podem ser perdidas na dança de quadrilha e nas inúmeras brincadeiras típicas.

– Nas viagens, reserve uma parte do dia para visitar a cidade a pé. Caminhada é uma ótima maneira de conhecer a cultura local. 

– Em casa, incentive os jogos com movimento, como videogames interativos ou esportivos.

– Seja um exemplo para seu filho. Mostre a ele que é fundamental manter o ritmo de exercícios e a boa alimentação, principalmente nas estações mais frias, quando o nosso apetite costuma aumentar ainda mais. Diga não à preguiça!