A prática de atividade física regularmente é uma das principais recomendações dos pediatras na prevenção da obesidade infantil. Mas no inverno as famílias tendem a ficar mais em casa e as crianças terminam se movimentando menos que o habitual. Conversamos com o pediatra Daniel Becker, da Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro (SOPERJ) e autor do site Pediatria Integral (http://pediatriaintegral.com.br/), para saber quais os cuidados que os pais devem ter para que seus filhos continuem se exercitando nos dias rios, sem riscos à saúde.

 

OIN – Quais os cuidados que os pais devem ter com as crianças durante a atividade física nos dias frios?

DANIEL BECKER – O primeiro cuidado é não renunciar à atividade física por causa do frio. Brasileiros têm muito medo de frio e acham que ele causa doenças. Não é verdade. Poucos lugares no Brasil têm frio extremo. No frio, devemos nos proteger de forma adequada, se agasalhando, para evitar a hipotermia (a diminuição excessiva da temperatura normal do corpo) e certas condições que favorecem a gripes e resfriados. Por exemplo, aglomerações, casas fechadas com muita poeira. Sair ao ar livre no frio, principalmente se não estiver chovendo, não tem nada de ruim. E os riscos de praticar atividade física no frio são menores do que não se exercitar. Com a atividade física, a criança terá mais ânimo, até para as tarefas escolares, as brincadeiras. Mesmo as crianças pequenas, bem agasalhadas, devem sair de casa no inverno, brincar nos parques. Isso é a essência da infância e a criança não deve ser confinada em casa porque está um pouco frio. Se fosse assim, a população da Europa e do Canadá e de boa parte dos Estados Unidos permaneceria em casa no inverno. E isso não acontece. Terrível e perigoso é ficar em total inatividade física, engordando e deixando de aproveitar os benefícios que a atividade física pode nos proporcionar, como melhora da imunidade e do desempenho escolar, diversão, ganho de força muscular e bem-estar.

  

OIN – No inverno, a criança que se exercita regularmente precisa de mais calorias? Precisa comer mais que o habitual?

BECKER – No frio, a gente tende a conservar energia, a comer mais e, naturalmente, a se movimentar pouco. Porque o corpo nos ordena a gastar menos energia. Isso é biológico. No inverno, a criança só precisa comer um pouquinho mais que o habitual se ela for ativa fisicamente. Isso sem exagerar, principalmente, com os alimentos processados, os grandes vilões. Nesses casos, é melhor oferecer proteínas de boa qualidade, bons carboidratos (os integrais), frutas, legumes à vontade e boas gorduras, como óleos vegetais, azeite, óleo de girassol. O melhor é cercar a criança de alimentos saudáveis. Se a criança continua muito sedentária no inverno, não precisa aumentar o consumo de calorias.

 

OIN – A criança precisa de um maior consumo de água no inverno? Hoje muitas crianças e adolescentes que praticam esportes trocam a água por bebida desportivas isotônicas. Isso é errado?

BECKER – A hidratação adequada é muito importante no inverno. No frio, a gente esquece de beber água. E os dias frios, geralmente, são mais secos e perdemos água pela respiração. E também quando estamos agasalhados suamos mais. Os pais devem ter cuidados principalmente com as crianças mais velhas que praticam esportes regularmente, para evitar a desidratação. No inverno, devemos oferecer água com frequência às crianças, antes e depois da atividade física. Não tem sentido a criança usar bebidas isotônicas. A não ser que ela seja um atleta, esportista, e a bebida isotônica tenha sido indicada por nutricionista. Ela pode ficar muito bem com água e, eventualmente, água de coco, que tem elementos hidratantes. Com as crianças não há necessidade de apelar para bebidas hidratantes esportivas.

  

OIN – Quais são as atividades físicas ao ar livre mais indicadas para crianças nos dias frios? Por exemplo, natação em piscina aberta é contraindicada? 

BECKER – Não há restrições em princípio. Uma piscina não aquecida no inverno pode ser desagradável. Mas tem gente que faz. Claro que se estiver um frio extremo, a criança não deve ser submetida à água gelada. Ela pode entrar em hipotermia, especialmente a criança pequena. A piscina deve ser levemente aquecida para que fique agradável o contato com a água. Com relação aos outros esportes, as precauções são as mesmas em relação aos dias quentes. O excesso de exercícios nos dias quentes é mais perigoso porque desidrata. No frio, as crianças precisam beber mais água e evitar a respiração pela boca, porque resseca as vias aéreas um pouco. As maiores devem ser ensinadas a manter a respiração nasal e as vias aéreas hidratadas e usar soro fisiológico durante a atividade física, se for o caso, para umedecer o nariz. Todos os esportes podem ser praticados normalmente durante o frio.