Estudos recentes têm investigado a relação entre cárie dentária e a obesidade infantil. Embora esses trabalhos não apresentem evidências suficientes que sustentem essa associação direta, odontopediatras enfatizam que os dois problemas têm se tornado desafios cada vez mais frequentes para a saude pca, e uma alimentação saudável pode ter impactos positivos nos dois casos. De acordo com a odontopediatra D Rocha Ruiz, mestre em Ciências pela disciplina de Endocrinologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de São Paulo, o que está comprovada é a relação entre diabetes tipo 2 e doenças das gengivas (periodontais). "E a obesidade favorece a ocorrência de diabetes tipo 2", pondera a especialista, que é autora de cinco livros voltados para o pco infantil, entre eles "O diário de uma boca em crescimento" e "As incríveis descobertas no dia a dia com diabetes".

 

Ela acrescenta que uma alimentação adequada é benéfica por muitos motivos: "Hábitos alimentares saudáveis desde a infância favorecerão o perfeito desenvolvimento físico e intelectual, reduzindo os transtornos causados pelas deficiências nutricionais comuns a esse estágio. Esses hábitos também evitam a manifestação da obesidade, desnutrição e outros distos alimentares. Ao mesmo tempo, favorecem a saude geral e oral da criança. Uma dieta sem uma rotina de horários adequados, com um consumo excessivo de alimentos contendo açúcares, junto com uma má higiene oral, aumenta muito o risco do surgimento da cárie, que afeta os dentes de leite e permanentes. A cárie pode gerar desconforto, dor, infecção e até mesmo a perda do dente. As infecções na boca podem prejudicar a saude geral da criança."

 

Para D, que atua como diretora de Orientações aos Pais e Crianças da Associação Brasileira de Odontopediatria, alguns alimentos não devem integrar a alimentação na primeira infância: "De 0 a 3 anos, refrigerantes e guloseimas não devem ser oferecidos aos bebês. Aps 3 anos de idade, refrigerantes e guloseimas devem ser evitados, e o consumo, quando houver, deve ser sem exageros e regrado. A família deve dar preferência a oferecer água, suco natural de frutas e os demais alimentos saudáveis no dia a dia. Sempre estabelecer uma rotina alimentar com horários para refeições principais e lanches."

 

A especialista explica ainda que, além das cáries, maus hábitos alimentares podem desencadear outros problemas orais. "A alimentação tem papel fundamental sobre o crescimento e desenvolvimento infantil, uma vez que os padrde sucção, deglutição e mastigação promovem a interação dinâmica de todos os sistemas da boca. Esses padrtambém podem interferir de maneira favorável ou desfavorável aos dentes e no crescimento e desenvolvimento orofacial", explica, citando a possibilidade de defeitos na formação dos dentes decorrentes de desnutrição e da erosão dental provocada pelos ácidos presentes, por exemplo, em refrigerantes.

 

Na mão inversa, uma dentição prejudicada também pode atrapalhar a nutrição.  "Uma criança que não mastiga adequadamente pode ter alterações no crescimento e desenvolvimento das arcadas dentárias, dos mlos e das articulações da boca. A criança com cárie dentária não mastigará adequadamente. Sabemos que a criança que não mastiga bem não preparará os alimentos corretamente para a sua deglutição e digestão, podendo não aproveitar adequadamente os nutrientes. Muitas vezes, essa ingestão alimentar rápida não sacia a fome da criança e leva a uma ingestão de alimentos maior do que a necessária, podendo favorecer a ocorrência da obesidade infantil."

 

 

 

Cuidados com a saude oral do bebê:

 

O aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida prepara os mlos, bochechas, língua, ossos orofaciais para o adequado desempenho de suas principais funções: respiração nasal, mastigação e deglutição adequadas. Além disso, contribui para o desenvolvimento da fonação e posterior articulação da fala da criança.

Práticas alimentares inadequadas -- como deixar o bebê (com dentes) e a criança adormecer apngerir líquidos contendo açúcar ou mel -- podem aumentar o risco da cárie dentária.

É preciso estar atento a alterações na deglutição e na mastigação, que podem provocar encaixe incorreto de dentes e arcadas nos dentes de leite e permanentes.

 

Fonte: Odontopediatra D Rocha Ruiz

 

 

 

Dez recomendações para a saude oral de crianças e adolescentes:

 

- Cuidar da saude oral é cuidar da saude geral do nosso corpo.

- Ter uma boca sempre limpa: nada de deixar restos de comida presos na boca.

- Usar pasta de dentes contendo fle fio dental.

- Preferir uma alimentação balanceada e saudável!

- Nada de comer a todo momento. É muito importante ter horários certos para refeições e lanches. Nesses intervalos, beba água!

- Mastigar bem os alimentos, usando os dois lados, e com a boca fechada.

- Respirar pelo nariz e falar corretamente.

- Usar condutas para prevenir os acidentes orais.

- Não fumar, nem consumir bebidas alcoas e drogas.

- Visitar regularmente o dentista.

 

Fonte: Odontopediatra D Rocha Ruiz